segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Já que tudo é possível quando se escreve histórias de amor...

 Ela lia "O Morro dos Ventos Uivantes" quando rapidamente tirou os olhos do livro para ver quem entrava na livraria aquela hora. Ele olhou para os olhos dela e por um instante esqueceu de todos os outros olhares que algum dia já tinham encontrado os seus. Sorriu após perceber que estava parecendo um bobo descansando os olhos sobre aquele rosto desconhecido, mas tão familiar. Tinha vergonha de se aproximar; porém o medo de não ter outra oportunidade de sequer pensar em falar com ela era maior.
-Oi.
- Olá.
-Você me encanta.
-Você me afronta.
-Eu já te quero.
-Não sou dessas.
-Eu sei. Te quero não só agora.
-Não consigo acreditar. Como vou saber?
-É pra ser como nos livros, me dê seu telefone, vou te ligar e disso não tenha dúvida.
-Tudo bem...
-Não tenho onde anotar, pode ser na minha mão mesmo, mas não tenho caneta também.
-Eu tenho um lápis de olho preto, pode usar ele pra anotar, mas acho que vai sair da sua mão antes de passar o número pra outro lugar.
-Espera, eu tenho um livro, vou anotar nele.
-No seu livro? Mas não vai sair mais...
-Não quero que saia, vai ser especial olhar pra ele daqui uns anos, nós dois vamos rir.
-Daqui uns anos?
-Acredita em mim agora? Amanhã eu te ligo.

Um comentário:

Laura Olivatto disse...

ISSO TOTALMENTE DEVIA ACONTECER, CERTO!?