quarta-feira, 19 de junho de 2013

Felicidade.

  Esses dias parei pra pensar... Caramba, eu sempre digo isso, "esses dias parei pra pensar"... mas é verdade, eu vivo "parando pra pensar", mesmo quando não estou necessariamente em inércia... Enfim, prosseguindo, esses dias parei pra pensar sobre a felicidade e que, na maioria das vezes, nós não conseguimos identificar quando uma pessoa está realmente feliz. Sorrir nem sempre é sinônimo de felicidade, é um grande erro algumas pessoas pensarem que só porque alguém está sorrindo ela automaticamente está feliz,  felicidade vai além de um sorriso estampado no rosto, e como exemplo disso eu posso citar eu mesma (HA)! Pois é, hoje eu estava voltando pra casa da faculdade e uma colega minha estava sorrindo muito, gritando e exalando felicidade pelos poros por ter tirado boa nota em uma prova, e eu seguia ao lado dela normalmente, então ela me perguntou porque eu não estava feliz sendo que eu também tinha tirado uma nota boa e já estava de férias, e eu respondi que estava feliz, muito feliz, e eu realmente estava, internamente feliz hahaha. Só porque eu não estava com um sorriso nas orelhas, não queria dizer que eu não estava feliz pelo ocorrido.
  Eu tenho momentos de felicidade em que não consigo nem manter dentro de mim o sentimento de felicidade, e outros em que eu estou tão feliz quanto esses momentos (ou mais) que nem consigo demonstrar externamente a minha felicidade. É complicado, mas creio que todas as pessoas sentem isso às vezes.
  Eu queria escrever mais coisas sobre isso, mas acho melhor ir por partes pra não ficar um texto gigantesco, então quero concluir dizendo que: pra mim o extremo da felicidade é fazer aquilo que você quer fazer, aquilo que você gosta de fazer, sem se preocupar com o que as outras pessoas vão pensar, é arriscar "passar vergonha" só porque você sabe que "aquilo"vai te fazer feliz, ou vai fazer alguém que você ama feliz, e que isso consequentemente vai te trazer felicidade. Mas, além disso, a felicidade real é aquela que, por você estar bem e feliz consigo mesmo, te proporciona ser feliz em outras coisas, de outras maneiras. Mais além escrevo mais sobre isso.

Um comentário:

Laura Olivatto disse...

Exatamente! Seu texto me fez refletir sobre minhas próprias manifestações de felicidade. Geralmente, quando eu estou feliz, expresso isso de forma até explosiva com meus familiares e amigos, no entanto, há algum tempo vivenciei uma experiência diferente de felicidade. Estava muito ansiosa pelo resultado da primeira fase da UFTM para saber se iria ou não para a segunda fase. Quando descobri que teria a oportunidade de fazer a segunda etapa do vestibular, não contei a ninguém inicialmente. Não sei explicar direito o motivo da minha retração... mas parecia que se meus comportamentos e meus olhares expressassem a alegria que eu sentia por dentro, aquela felicidade se dissiparia, como dentes-de-leão soprados ao vento... Eis a felicidade e suas maneiras estranhas de nos pegar.